Sabrina Carpenter Brasil

Sejam bem-vindos ao Troian Bellisario Brasil! A sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Troian Bellisario no Brasil, conhecida pelo seu papel na série "Pretty Little Liars" como Spencer Hastings. Navegue pelos menus acima e sinta-se em casa!
23.05.2017

Troian no Last Call with Carson Daly

Troian gravou semanas atrás uma participação no Last Call with Carson Daly, onde falou sobre dirigir um episódio de PLL e também nos deu as primeiras imagens de Feed, filme que ela escreveu, produziu e atuou ao lado do ator Tom Felton. Confira o vídeo abaixo legendado pela nossa equipe:

 

Publicado por   |   Armazenada em: Entrevistas, Feed, Vídeos legendados
23.05.2017

13 coisas que você talvez não saiba sobre Troian Bellisario

O site Seventeen fez uma matéria contanto 13 fatos que você talvez não saiba sobre a Troian. Confira traduzido abaixo:

1. Troian atua desde que tinha 3 anos. Seu primeiro papel foi em 1988 no filme Last Rites onde ela interpretou a filha de Nuzo.

2. Ela é escorpiana. Nasceu no dia 28 de outubro de 1985.

3. Ela casou com o namorado de longa data Patrick J. Adams no dia 10 de dezembro de 2016. Eles ficaram noivos por dois anos e namoraram por sete anos antes de casarem.

4. Ela teve um distúrbio alimentar quando era mais jovem. Sua experiência a levou a ser uma advogada da saúde mental. Ela disse em uma entrevista, que estar no hospital significava, “foi o fim da minha vida, mas aí percebi que era uma nova maneira de recomeçar… Sair do hospital, a coisa mais frustrante para mim foram as pessoas que eu amo não entenderem minha experiência com a doença…”

5. Apoiou Hillary Clinton durante as eleições de 2016 por sua estância na saúde mental. “Eu sou uma apoiadora da Sra. Clinton por muitas razões, especificamente porque ela vem sendo uma grande advogada da saúde mental, e sua definição de cuidados com a saúde inclui cuidado da saúde mental. E para mim é – o fator decisivo entre os candidatos.” ela disse.

6. Ela participou da marcha de New York pela Ciência. Ela não pode estar na marcha das mulheres, mas apareceu para apoiar nas redes sociais e vem sendo muito vigilante em envolver seus fãs na política.

“Love your Mother” 🌎 #marchforsciencenyc #earthday

Uma publicação compartilhada por Troian Bellisario (@sleepinthegardn) em

7. Ela sabe cantar e tocar violão. Sua voz é rouca e gloriosa e você vai se apaixonar.

8. Ela queria que a Spencer morresse. De acordo com sua recente entrevista para a W Magazine, Troian disse “Eu definitivamente tentei [ser morta]…” e depois explicou o porque disso, “A) Você quer uma cena de morte, e B) Na série, seu personagem se torna infinitamente mais interessante quando você morre. Eu honestamente senti que para esse mundo ser realmente perigoso, uma das Liars teria que morrer. De outra manera, -A só estaria colocando elas em perigo e ainda salvando elas.”

9. Se você procurar pela Troian nas redes sociais, você não irá encontrá-la. Porque? Por que ela não usa seu nome nas redes sociais. Ao invés disso, ela usa @SleepintheGardn no Twitter e Instagram.

10. Troian escreveu um filme chamado Feed, que vai para os cinemas no dia 18 de julho de 2017. O filme tem foco em doenças mentais. Ela interpretará a protagonista ao lado do nosso sonserino favorito, Tom Felton vulgo Draco Malfoy.

11. Ela é uma ameaça tripla. Ela atua, dirige e escreve. Aliás, ela dirigiu o 15º episódio da temporada final de PLL, que se chama “In The Eye Abides The Heart.”

12. Ela esteve em NCIS como a irmã do agente McGee, Sarah. Na vida real ela é meia irmã do ator! O quão louco é isso?

13. Ela trabalhou em um curta metragem chamado Still A Rose, que é a história de Romeu e Julieta com uma reviravolta. É uma versão inclusiva, LGBTQ da peça clássica.

Publicado por   |   Armazenada em: Matéria
23.05.2017

Na cabine do Bustle com Troian Bellisario

O site Bustle entrevistou a Troian durante sua passagem por New York para a inauguração da loja da Rituals. Confira abaixo a matéria traduzida:

Quando as celebridades vem para a sede do Bustle, sendo para uma sessão de fotos, sessão de vídeo ou uma live no Facebook, gostamos de lhes dar a chance de deixar sua marca. Literalmente. Então lhes damos uma caneta, um pedaço de papel, algumas perguntas, e lhes pedimos para serem criativos. O resto é com eles. Dessa vez, a atriz Troian Bellisario vai deixar sua marca na Cabine Bustle.

Com a sétima e final temporada de PLL a maioria das pessoas diria que a atriz Troian Bellisario definitivamente merece uma pausa. Mas Bellisario não vai desacelerar. Com uma variedade de diferentes projetos, Bellisario recentemente se juntou com a Rituals para lançar uma campanha. Dada a cheia agenda de Bellisario,a colaboração é ironicamente sobre desacelerar. A mensagem da parceria centra em encorajar os moradores de New York a pegarem suas rotinas diárias e fazer algo mais pensativo e calmo.

Se você olhar o Instagram de Bellisario, você vai achar fotos de natureza, ativismo, animais, e geralmente as coisas que a maioria de nós queria ter o tempo para priorizar. Mesmo com o fim de PLL, a campanha da Rituals, que é sobre desacelerar e apreciar as pequenas coisas, é a prova que Bellisario planeja trazer sua personalidade única e interesses em projetos no futuro.

Eu falei com Bellisario na loja da Rituals sobre a campanha e acabei aprendendo algumas coisas divertidas sobre a estrela.

Qual seu pedido de café? Chai com amêndoas gelado

Qual produto de beleza dos anos 90 você sente falta? Nenhum, eu ainda vivo nos anos 90!

Qual seu super poder? Meu trabalho ético e eu ou posso ficar bem dormindo pouco.

Qual a última coisa que você enviou no Instagram? #Aerial #silks #popandlock

Quais localizações de temperatura você tem salvas no seu celular? LA, NY, Toronto, Big Sur, 29 Palms, Masset.

Quem são seus ídolos celebridades? Cate Blanchett + Kendrick Lamar

Em qual cômodo você põe maquiagem normalmente? Banheiro?

O que você gostaria que as pessoas dissessem sobre você? Eu nem a reconheci nesse último papel!

Gel ou o clássico esmalte de unha? Eu queria só o esmalte mas eu odeio manicures então o gel dura mais.

Desenhe seu emoji favorito.

Algo mais que você gostaria de adicionar ou desenhar?

Obrigada Bustle.
Um pequeno fato que eu tenho 6 dedos em uma mão. 🙂

Fonte: Bustle

Publicado por   |   Armazenada em: Entrevistas, Matéria
09.05.2017

[Fotos+Entrevista Traduzida] Troian para a Coveteur

Durante sua passagem em NY para a inauguração da nova loja da Rituals, Troian concedeu uma entrevista para a Coveteur, onde falou sobre rotina de beleza, o fim de PLL e mais. Confira abaixo traduzido:

Não é fácil conseguir uma pele invejável e suave e – isso sabemos. Mas Troian Bellisario de alguma forma conseguiu fazer o impossível. Se você sabe alguma coisa sobre estar na frente de várias lâmpadas de flash e TVs 4K, é necessário mais que uma camada comum de maquiagem e a necessidade de uma pele saudável vem com o trabalho. E por isso quando encontramos a atriz na loja da Rituals, e ela parecia tão impecável ao vivo como ela parece na tela, nós imediatamente queríamos saber tudo. Ela estava lavando o rosto com mais do que um limpador (estamos fazendo tudo errado?)? Qual era sua rotina diária e noturna? Felizmente, ela respondeu nosso incessante questionamento, nos levando ao seu dia-a-dia, e também como ela está lidando com estas últimas semanas de PLL.

Porque ela não lava seu rosto de manhã:

“Eu li que quando você dorme, muitos dos bons e naturais óleos saem da sua pele, e você não quer acordar e lavá-los imediatamente, porque sua pele vai ficar muito seca. Então quando eu acordo de manhã, eu literalmente respingo água fria no meu rosto e coloco um hidratante com protetor solar. Então, vou para o trabalho e eu não tenho dormido bem, eu uso os Skyn Eye Pads, para acalmar meus olhos, mas geralmente, é um hidratante, um creme, e estou pronta. As manhãs são muito fáceis.”

O truque para a noite que ela usa desde que tinha 16 anos:

“Se eu estava trabalhando no dia, de noite eu uso um limpador de maquiagem para tirar a maquiagem e tento usar máscara. Às vezes, eu faço uma máscara de carvão, então eu lavo e faço uma máscara hidratante ou uma exfoliante. Geralmente, eu coloco um óleo para dormir e creme para os olhos. Minha mãe colocou isso em mim – acho que ela me fez começar a usar creme para os olhos quando eu tinha 16 anos. Se você usa quando não precisa, se torna um hábito e vai ficar sempre hidratado.”

Seu produto favorito da Rituals:

“A espuma de banho é incrível. Eu sinto que eu sou uma criança de novo porque quando você coloca, assim que entra em contato com qualquer umidade, se transforma nessa espuma bonita que tem um cheiro muito bom. Eu também aprendi que você pode se depilar com ela. Então é uma lavagem corporal, creme depilatório e é bom porque não seca sua pele.”

A parte de sua rotina de beleza que não mudou ao longo dos anos:

“Eu diria que definitivamente é o creme para olhos… E minha incapacidade de tirar toda minha maquiagem. Por mais que eu diga que eu tiro, eu vou pra PLL e a Rebecca [maquiadora da série], me diz, ‘Você ainda tem delineador.’ E eu fico, como?! Como perdi isso?! Eu não entendo. Então ela passa cinco minutos tirando minha maquiagem.”

Seu truque para tirar excesso de maquiagem nos olhos:

“Cotonete! Que também, descobrimos que não é para ser usado no ouvido. Eu sei que isso acontece, e eu sei porque eu estava em um banheiro e eu tenho certeza que ouvi Jessica Alba falando sobre isso com alguém. Ela falava, ‘Você ouviu que eles não estão legalmente autorizados a te dizer para colocar cotonetes em seu ouvido, porque você não deveria por?’ Então, cotonetes são apenas para tirar maquiagem dos olhos… Em Troian Bellisario.”

A parte de sua rotina de belez que mudou com os anos:

“Quando eu era adolescente, eu lavava meu rosto o tempo todo. E é claro, minha pele surtou. Então eu estava aprendendo coisas que se você lavar seu rosto antes de dormir, e estiver hidratado, certifique-se de tirar o excesso de óleos com uma toalha morna. Não atacar minha pele, as para deixar passar o que precisa.”

Como é o sentimento de PLL estar chegando ao fim:

“É definitivamente estranho. Eu ia assistir todos os episódios e twittar ao vivo, e então eu descobri, na verdade, que twittar era difícil porque eu queria assistir o episódio. Depois disso, só terão mais sete episódios, e depois seis, e aí cinco. Por mais que eu ame falar com os fãs, eu prefiro pegar o tempo para experienciar enquanto chega ao fim. Estou tentando tirar um dia de cada vez e estar presente para o fechamento desse capítulo, porque minha mente só quer pular para a finale. Eu quero sair e falar com os fãs sobre – ‘O que você achou? Você esperava?’ Blá, blá, blá. E eu realmente não quero fazer isso, respirar e aproveitar o momento na minha vida.”

Sobre a luta de estar presente:

“É muito difícil estar presente, especialmente com esses computadores que carregamos em nossas mãos. Eu sei que somos muito bons em multitarefa, mas agora multitarefa está em outro nível. Você tem que ter oito diferentes conversas ao mesmo tempo, enquanto posta sua vida e o último burrito que você comeu, e também comprar roupas online e trabalhar com essa ótima fundação que está fazendo isso. Quando você tem um computador em seu bolso, você deveria ser capaz de fazer todas essas coisas. Mas mentalmente, eu não acho que alcançamos os poderes dos computadores.”

Fonte: Coveteur

Troian também fez uma sessão de fotos para essa entrevista, confira em nossa galeria nas miniaturas abaixo:

troiancoveteur-001.jpg troiancoveteur-004.jpg troiancoveteur-003.jpg

Publicado por   |   Armazenada em: Beleza, Entrevistas, Galeria, Photoshoot
09.05.2017

Troian no GMA para a campanha #HereForYou

Na manhã de hoje (8), foi ao ar uma gravação que a Troian fez com o Good Morning America para falar sobre a nova campanha de ajuda pessoas com doenças mentais, a hashtag #HereForYou será utilizada no Instagram para prover ajuda a vítimas das doenças mentais e como elas podem conseguir ajuda. Troian é apoiadora da causa e comentou sobre seu próprio transtorno alimentar que ela sofreu quando era mais jovem. Também foi confirmada a data de lançamento de Feed, filme que a Troian escreveu, produziu e atuou sobre sua batalha contra a anorexia. Confira a matéria traduzida abaixo:

Troian também postou uma foto no Instagram falando sobre a campanha:

I want to thank @instagram for continually creating a safe space for people to have conversations about mental health. I have seen & heard many brave people speak out about their own ever changing relationship to their mental illness; the ups & the downs, the triumphs & the pain. IG is a visual platform BUT many have used this space for more than just posting images. They have found communities and friends who support them, and places where they can speak openly and honestly about their lives. May is Mental Health Awareness month in America and @instagram asked me to join them on @goodmorningamerica with @robinrobertsgma & @marnelevine to talk about the new ways in which they are supporting these conversations and communities and how I chose to speak about my own experience with my upcoming film #FeedtheMovie . No one should suffer in silence. There is no shame in asking for help. Take this moment to let someone know we are #hereforyou

Uma publicação compartilhada por Troian Bellisario (@sleepinthegardn) em

“Eu queria agradecer o Instagram por criar continuamente um espaço seguro para as pessoas terem conversas sobre saúde mental. Eu vejo e ouço tantas pessoas corajosas falarem sobre seus relacionamentos com suas doenças mentais; os altos e baixos, os triunfos e a dor. Instagram é uma plataforma visual MAS tantos usam esse espaço para mais que postar imagens. Eles acharam comunidades e amigos que os apoiam e lugares onde podem falar abertamente e honestamente sobre as vidas deles. Maio é o mês da conscientização da saúde mental na América e o Instagram me convidou para me juntar a eles no Good Morning America para falar sobre as novas maneiras que eles estão apoiando essas conversas e comunidades e como eu escolhi falar sobre minha própria experiência com meu filme Feed. Ninguém deve sofrer em silêncio. Não há vergonha em pedir ajuda. Pegue esse momento para deixar alguém saber que estamos #HereForYou (Aqui por você.)”

Troian também contou um pouco sobre sua luta no perfil oficial do Instagram, confira:

“When I was younger, I was very deeply involved with an eating disorder. I was suffering from anorexia, and I didn’t know how to get myself out of it,” says actress Troian Bellisario (@sleepinthegardn). “I was a privileged young woman. I was going to a good school. I was doing well. I couldn’t understand why I was having such a hard time, emotionally and physically, why I was having such a hard time feeding and nourishing myself. My teachers, friends and family approached me with their concern, and I went to see a doctor who sat across from me and said, ‘You have a disease. This isn’t a disease most people can see from the outside, but I’m telling you right now, you are suffering from something that is just as serious and just as life-threatening as a physical ailment.’ That conversation changed my life. From that moment on, I’ve known I am struggling with something, and some days, it’s much easier to handle than others. This is why I’m such a great supporter of these kinds of conversations and of the mental health community, because I consider myself to be a card-carrying member.” #hereforyou Learn more about how our community is sharing their mental health journeys and supporting one another. (Video link in bio) Photo by @sleepinthegardn

Uma publicação compartilhada por Instagram (@instagram) em

“Quando eu era mais jovem, eu estava profundamente envolvida com uma doença mental. Eu sofria de anorexia, e eu não sabia como sair dessa,” diz a atriz Troian Bellisario. “Eu fui uma jovem privilegiada. Eu ia para uma boa escola. Estava indo bem. Eu não conseguia entender porque estava tendo uma época difícil, emocionalmente e fisicamente, porque eu tinha tanta dificuldade em me alimentar e me nutrir. Meus professores, amigos e família me abordaram com suas preocupações, e eu fui ver um médio que sentou na minha frente e disse, ‘Você tem uma doença. Não é uma doença que a maioria das pessoas podem ver de fora, mas estou dizendo agora, você está sofrendo de algo que é tão sério quanto uma doença que ameaça a vida ou uma doença física.’ Essa conversa mudou minha vida. Desse momento em diante, eu sabia que estava lutando contra algo, e alguns dias, é mais fácil de lidar do que outros. É por isso que eu sou uma grande apoiadora desses tipos de conversas e da comunidade da saúde mental, porque eu me considero uma portadota.” #HereForYou

Alguns amigos da Troian comentaram a participação dela na campanha, confira abaixo:

While Instagram can easily be a place where a curated perfection seems to ooze from every photo, it is also a powerful platform to connect over pain. If we choose to share our shadow parts–our sadness and our suffering– we can quickly see we are not alone. Abolishing shame around mental illness–depression, grief, anxiety….you name it–has always been an important pillar of the work we do at Of The Wolves. This morning, to kick off May's Mental Health Awareness month, prior Guest Editor and member of the pack, @sleepinthegardn, appeared on @goodmorningamerica with @marnelevine of @instagram to talk about Instagram's campaign, #hereforyou. No one should suffer in silence. Reach out and ask for help. There's no shame. Thank you for the work you do Troian! 💛

Uma publicação compartilhada por Of The Wolves (@of_the_wolves) em

“Enquanto o Instagram pode facilmente ser o lugar de perfeição em cada foro, é também uma plataforma poderosa para se conectar pela dor. Se escolhermos compartilhar nossas partes obscuras — nossa tristeza e sofrimento — podemos ver rapidamente que não estamos sozinhos. Abolindo a vergonha sobre as doenças mentais — depressão, luto, ansiedade — sempre vem sendo um pilar importante do trabalho que fazemos no Of The Wolves. Essa manhã, para iniciar o mês da conscientização da saúde mental, nossa editora convidada e membro do bando, Troian, apareceu no Good Morning America para falar sobre a campanha do Instagram, #HereForYou. Ninguém deve sofrer em silêncio. Procure e peça por ajuda. Não há vergonha. Obrigada pelo trabalho que você faz Troian!”

“Maio é o mês da conscientização da saúde mental. Troian falou com a COO do Instagram e o Good Morning America sobre as lutas e realidades por aí. Instagram está começando uma campanha para as vozes serem ouvidas. Tantos tópicos importantes para serem trazidos à tona. #HereForYou”

05.05.2017

Racked: Troian Bellisario prefere usar as roupas de sua mãe

Troian concedeu uma entrevista para a Racked ontem durante sua passagem pela abertura da loja da Rituals em New York City. Confira traduzida abaixo:

Por uma grande parte de uma década, Troian Bellisario interpretou Spencer Hastings em Pretty Little Liars, agora na sétima (e final) temporada. E enquanto o estilo pessoal da atriz não poderia ser mais diferente de seu alter ego da televisão – Bellisario se inclina para o boêmio, enquanto Spencer é toda abotoada – as duas tem muito em comum, particularmente sua eloquência e pragmatismo.

Essa abordagem sensata informa a maneira como Bellisario faz compras – e economiza. Uma gastadora cuidadosa por natureza, ela admira o artesanato de roupas de grife, mas prefere comprá-las de segunda mão (apesar do fato que ela poderia apenas ligar e pedir favores de grandes marcas) ou invadir o armário de sua mãe para tesouros vintages. Ela é igualmente prática quando se trata de rotina de beleza, ficando apenas em um regime de vários passos de cuidados com a pele. Abaixo, Bellisario se abre sobre suas fraquezas nas compras, sua peã vitage mais apreciada e a estrela de PLL pensa que está em “um outro nível”, em seu estilo.

Conte-me sobre sua estratégia típica de compras.

Então aí vai: eu sou uma péssima compradora – eu sou terrível nisso. Eu vou vestir as roupas até ficarem destruídas. Eu tive essa mochila Nine West que eu ganhei, e tinha essa gigante mancha atrás. Onde eu ia, as pessoas ficavam tipo, “Me perdoe, acho que algo está vazando da sua mochila.” Finalmente, meu marido pegou de mim e jogou fora. Mas eu não queria sair e achar uma nova mochila!

Eu sinto que cada vez que vejo algo em uma loja e experimento, eu fico imediatamente, “Isso não parece eu.” É por isso que eu amo pegar roupas emprestadas dos meus amigos, ou pegando roupas da minha mãe – essas roupas que já vi antes, várias e várias vezes. É muito raro que eu estarei andando na rua, vejo algo em uma janela e fico, “Preciso ter isso.”

Normalmente eu entro na loja, experimento muitas coisas, e falo comigo mesma. Eu me digo, se você realmente quer isso, você vai voltar para pegar. [É por isso] que eu gosto de deixar as coisas na espera e voltar por elas um ou dois dias depois, assim você tem tempo para pensar. Porque às vezes, você só estava com fome e delirante e não tem nenhuma chance de usar aquele kimono floral laranja, sabe o que eu quero dizer?

Em geral, eu tendo a ir nas minhas lojas favoritas várias vezes, porque eu já sei que elas tem a minha vibe. Rag & Bone, AllSaints, Vince – eu sei que sempre posso achar algo parecido comigo. E eu sempre entro na RRL, mesmo que eu saia de mãos vazias às vezes. Tipo, talvez eu não compre essas calças do século 18, mas eu vou definitivamente experimentá-las!

E sobre sua rotina de beleza? Você é leal as mesmas marcas?

Eu sempre tendo a lavar meu rosto com os produtos da Clarin; eu uso o limpador, exfoliante e toner. É uma boa linha. Eu também gosto da Origins – e Rituals é uma ótima linha também. A filosofia por trás dos produtos deles é que eles se baseiam em rituais de culturas antigas, então quando você usa tudo junto, você recria esses rituais em casa.

É uma abordagem diferente, digamos, usar uma máscara facial e tirar depois de 10 minutos – por mais que eu ame usar máscaras, especialmente máscaras de folha! Mas te encoraja a deixar um pouco mais de tempo, mesmo que você esteja no chuveiro ou na pia. E eu acho que beleza e cuidados com a pele, investir em um tempo extra pode fazer toda a diferença.

Você gosta de comprar online?

Eu nunca fui boa em comprar online. Quer dizer, meu carrinho no Free People é insano – eu tenho milhares de dólares valendo coisas lá – mas é muito raro que eu realmente compre algo. Eu estou sempre adicionando coisas, e eu gosto de usar como inspiração. Dessa forma, se algo surgir, como um casamento de uma amiga, ou férias – eu fico, “Oh, eu sei de algo que seria perfeito para isso!”

Você costuma gravitar entre peças de grife ou não?

Eu queria poder comprar roupas de grife, mas não posso. Quando olho para alguns dos preços, eles me fazem querer vomitar. Eu amo roupas de grife, mas não poderia pagar esse tipo de valor.

Promoções meio que me deixam em pânico, mas eu amo achar um bom negócio em alguma coisa. Eu recentemente consegui uma compra consignada – estou obcecada. Tem uma loja em particular em Toronto, VSP, que eu amo. Eles tem Stella McCartney, Alexander McQueen – todas essas roupas insanamente bonitas. E você acha um suéter por 250 dólares que seria, 800 ou 1000 dólares em uma loja original.

Eu posso justificar comprar um suéter de caxemira por 250 dólares porque eu sei que usarei até ficar cheio de furos e cair de mim. Mas não me sinto confortável pagando o valor normal. Eu sinto que eu deveria gastar meu dinheiro de uma maneira melhor. Além disso, tem uma grande emoção de comprar uma jaqueta Burberry por um valor ridiculamente ótimo.

Qual o melhor negócio que você fez?

Na verdade, uma vez achei um sobretudo masculino da Burberry dos anos 70 por 40 dólares em um mercado de pulgas – foi um achado incrível, e eu usei até a morte.

Qual o melhor presente que você já recebeu?

Oh, esse lindo suéter da Ralph Lauren que meu marido comprou para mim como presente de casamento. É minha coisa favorita no mundo.

E sobre algo que você gostaria de ter comprado mas não comprou?

Então, eu realmente queria um par dessas botas Balenciaga que todos estavam obcecados – a preta com fivelas. Eu sabia que eu não podia gastar meu dinheiro nelas, especialmente porque eu já tenho muitas botas. Mas achei um par marcado por 600 dólares nessa loja – e, tipo, é o preço normal por uma bota muito boa! Mas tinha só um par sobrando, e não era do meu tamanho. Foi a pior coisa.

Botas são sua fraqueza de compras?

Elas são minha obsessão, especialmente botas pretas. Eu tenho muitas delas. E eu tenho muitos casacos. Mas aqui está uma coisa: eu poderia colocar os mesmos jeans e camisetas que eu uso no dia a dia por baixo, mas se eu tenho um bom casaco que eu amo, ninguém sabe!

Mais cedo, você mencionou que ama pegar emprestado peças da sua mãe. Alguma favorita?

O closet da minha mãe sempre vem sendo uma grande inspiração para mim. Eu costumava amar ver ela se vestir, e eu dizia, “Guarde esse vestido para mim, porque vou usá-lo quando for mais velha!”

De qualquer forma, quando eu era adolescente e tudo dos anos 60 e 70 estavam na moda, ela fez essa coisa engraçada: Um dia, ela decidiu jogar fora todas as coisas dos anos 60 fota. Ela só manteve as coisas dos anos 80 e 90. Eu fiquei meio, “Os anos 80 e 90 nunca voltarão a moda, o que você fez?!” É claro, que hoje estou meio, “Eu vou pegar emprestado esse vestido Calvin Klein e esse terno da Armani, muito obrigada!”

Mas minhas coisas favoritas da minha mãe são suas antigas botas de montaria, que eu amo e uso o tempo todo, e seus vestidos de maternidade, que tem esse tipo de silhueta triangular. Ela tem um branco, outro laranja, e outro com listras. São dos anos 80, mas parece muito anos 60. Eles fazem eu me sentir como a Twiggy!

Você está em Pretty Little Liars por sete anos. Você já percebeu que está se vestindo mais como Spencer enquanto o tempo passava, ou vice e versa?

Definitivamente. Spencer era super preparada no início da série – os coletes, as meias altas – mas conforme ela começou a crescer, começamos a crescer juntas. Nossa figurinista começou a me deixar transformar Spencer e deixar ela um pouco mais punk. Não para torná-la boêmia, apenas mais solta e um pouco mais desfeita.

E Spencer influenciou minha habilidade de me vestir também. Eu me sinto mais confortável em uma calça jeans rasgada e uma camiseta, e ela me ensinou isso, sabe, é bom usar uma saia lápis de vez em quando!

Se você pudesse trocar de closet com qualquer uma de suas colegas de elenco de PLL, quem seria?

É um impasse entre o da Ashley e da Lucy. Ambas tem um ótimo estilo, e sempre invejo as coisas delas quando vejo, mesmo que seja apenas para passar o tempo. Ashley sempre tem umas peças divertidas; tipo, ela usa calças de yoga com uma blusa branca, mas com uma jaqueta de cetim com uma frase divertida nela.

Não é que eu não ame o jeito que a Shay se veste, é só que eu nunca conseguiria usar as coisas que ela usa. Shay está em outro nível, e eu não nem quero chegar a esse nível, porque eu não posso! Ela precisa ocupar esse nível sem qualquer tipo de concorrência.

Ok, e se pudesse trocar de closet com qualquer personagem de PLL?

Eu amo guarda roupa da Spencer, e eu amo algumas coisas da Aria – mas eu provavelmente trocaria com a Emily, porque ela sempre tem as coisas casuais mais legais. É tudo realmente confortável, mas é claro que Shay faz parecer incrível, porque ela é a Shay.

Fonte: Racked

Publicado por   |   Armazenada em: Aparições, Beleza, Entrevistas
05.05.2017

Troian concede entrevista a Allure Magazine

Durante sua passagem pela inauguração da nova loja da Rituals em NY, Troian concedeu uma pequena entrevista a Allure Magazine via Instagram Stories. Confira abaixo traduzido:

Qual sua rotina de beleza para a pele durante para a noite?

Minha rotina de cuidados com a pele para a noite, eu tiro toda a minha maquiagem, eu uso máscara facial em folha, Rituals tem umas máscaras muito boas que tem hidratante. Eu uso esfoliante e creme para os olhos.
Qual o melhor conselho de beleza que você já recebeu?

Ok, meu melhor conselho de beleza é… Respire e pense sobre algo que você ama em si mesmo. Não tente mudar nada, não coloque nada. Confiante é a coisa mais bonita que você pode ser.
Quais são as chaves para uma boa pele?

Meu melhor conselho de beleza é usar muito creme para os olhos e beber muita água.
Como você descontrai depois de um longo dia?

Eu gosto de descontrair indo para casa, acendendo uma vela e eu… Medito. Eu sento… No momento estou conseguindo por 25 minutos.
Você está feliz em com Pretty Little Liars terminou?

Sim, estou muito feliz sobre como acabou. Eu mal posso esperar para os fãs assistirem o fim. Acho que ficarão felizes junto comigo!
O que você mais sente falta sobre estar na série?

O que eu sinto mais falta na série é a família, eu sinto falta de ir para o trabalho e ver as lindas mulheres e homens que passei os últimos 7 anos.

 

Publicado por   |   Armazenada em: Beleza, Entrevistas, Eventos
05.05.2017

Troian comparece na inauguração da loja Rituals em NYC

Na tarde de ontem, Troian esteve na abertura da nova loja da Rituals, que aconteceu em New York City. Ela fez uma sessão de Meet & Greet com 50 fãs e depois foi para uma estação de NY para uma sessão de Yoga. Confira abaixo as fotos do evento em HQ em nossa galeria:

MS378228.JPG MS378237.JPG MS378240.JPG

Troian também fez uma live no Facebook oficial da Rituals, confira abaixo legendada pela nossa equipe:

29.04.2017

Yahoo Style: Troian Bellisario ama a si mesma

Troian concedeu uma entrevista para o Yahoo Style onde fala sobre maquiagem no set de PLL e amar a si mesma. Confira traduzido abaixo:

Não é nenhum choque que Troian Bellisario é uma pessoa pensativa e astuta. Sua personagem Spencer Hastings em Pretty Little Liars é profundamente sagaz e ambiciosa. E, como Spencer, Bellisario pensa antes de falar – e nesse caso sobre o impacto da série, que tem ressoado profundamente em jovens do sexo feminino.

“Estar em uma série onde é tão importante nossa aparência, e ainda sim ser garotas que saem da cama e lidam com experiências traumáticas – eu fiquei conflitada pessoalmente por um bom tempo – que tipo de imagem estamos vendendo para as jovens? Estamos fazendo elas se sentirem piores sobre elas mesmas?” ela conta para o Yahoo Style.

Mas finalmente, ela fez as pazes com a realidade altamente estilizada de PLL por conta da mensagem subjacente do programa.

Elas eram um grupo de mulheres fortes que apoiam umas as outras e eu vi que tinha uma mensagem forte e empoderadora sendo enviada para o público feminino,” ela diz.

Ela também é aberta o máximo possível sobre o fato que a Spencer que você vê em Rosewood não é espelho da mulher que a interpreta.

“Eu uso tanta maquiagem na série e quando eu faço ações de imprensa. Se eu uso uma maquiagem normal em minha vida e tiro uma foto de mim mesma, as pessoas me perguntam se estou me sentindo bem. É uma falsa expectativa. É assim que você acha que deveria ser?” ela diz.

Agora que a série está fechando a segunda parte da sétima temporada, Bellisario está pronta para abraçar o que está por vir. E para ela, é um filme que ela escreveu e estrela sobre anorexia, parcialmente baseado em sua própria história de transtornos alimentares. Ela vem sendo aberta sobre suas lutas, embora tenha sido involuntaria no início.

“Se eu pudesse ter mantido uma vida pessoal muito secreta, eu adoraria ter feito isso,” ela diz. “Nossa série prosperou e mudou o jogo nas redes sociais. Muito disso é se engajar consigo mesmo. Você precisa por sua vida pessoal para fora porque as pessoas começam a fazer perguntas.”

Ela lembra do momento exato que compartilhou sua história com o mundo e como se sentia desconfortável no começo.

“Teve um artigo que me perguntaram como a vida era para mim quando eu era adolescente,” ela diz. “Eu podia escolher mentir e dizer que foi ensolarada e pirulitos. Ou eu poderia falar sobre como minha experiência foi realmente, o que não foi bom para mim. Eu decidi ser honesta. Quando o artigo saiu, eu queria vomitar. Comecei a receber cartas de homens e mulheres, que me contaram que eles estavam procurando ajuda, procurando tratamento, e eu senti que isso foi o certo. O que importa é que as pessoas sintam que não estão sozinhas.”

Agora, Bellisario, 31 anos, permanece saudável cuidando de si mesma. “Eu sou uma pessoa muito, muito ativa. Eu não gosto de ficar parada. Eu tenho muita energia. Eu gosto de aulas de dança, corridas, ou apenas andar por aí,” ela diz.

Fonte: Yahoo Style

Publicado por   |   Armazenada em: Entrevistas, Feed, Pretty Little Liars
26.04.2017

W Magazine: Troian Bellisario na vida depois de Pretty Little Liars

Troian concedeu uma recente entrevista e fez um photoshoot para a W Magazine onde falou sobre a vida pós PLL e seu filme, Feed. Confira traduzido abaixo:

A primeira pergunta que faço para Troian Bellisario é mais uma declaração, e adiciono um: “Estou grata que você não morreu.”

Bellisario leva no passo; nesse ponto vem com o território. Depois de sete temporadas como Spencer Hastings, uma das liars no hit da Freeform, Pretty Little Liars, sua personagem está no trecho da casa, evitando a morte em cada turno pelas mãos do nefasto vilão, conhecido apenas como “A”. Mas a atriz não está satisfeita.

“Eu definitivamente tentei [ser morta],” ela disse. “A) Você quer uma cena de morte, e B) Na nossa série, seu personagem fica infinitamente mais interessante quando você morre. Eu honestamente sinto que para esse mundo ser realmente perigoso, uma das Liars deveria morrer. De outra maneira, “A” está apenas as colocando em perigo e ainda salvando elas.”

Se muito do lido acima é normal para você, então você não é um dos 2 milhões de telespectadores que avidamente assistem a série toda semana e usam a linguagem: “A, Uber A, Spoby, Sparia, The Jenna Thing”. É um dialeto que Bellisario é fluente nos últimos oito anos, mas o final da série está chegando em junho, as coisas estão prestes a mudar.

“Eu tinha 23 anos quando gravamos o piloto,” diz a atriz, agora com 31 anos. “É tempo que você vai para o ensino médio, é mais longo do que a faculdade; a única coisa que durou esse tanto em minha vida é o relacionamento com meu agora marido. Isso sempre será minha família e minha casa. Eu sei que será diferente a partir desse ponto, mas eu não sei como eu posso realmente dizer adeus para algo que é tão integral para mim.”

Embora os episódios finais apenas começaram a ser exibidos semana passada, a série terminou as filmagens em outubro, fazendo dos últimos seis meses algo como uma turnê do adeus extendido para Bellisario e suas colegas de elenco, Lucy Hale, Shay Mitchell, Ashley Benson e Sasha Pieterse. E uma emocional despedida.

“Quando eles disseram, ‘É o fim da série para Keegan Allen [que interpreta o interesse amoroso de Bellisario na série]’, eu fiquei meio, ‘Oh mey Deus, meu namorado está morto,'” lembrou a atriz. “E no próximo dia, eles foram muito gentis e nos colocaram para fazer uma cena juntas, então foram todas as meninas. Eu nunca vou esquecer a última cena que fizemos era da Lucy, e todas ficamos por trás das cenas, chorando histericamente… Depois, nós sabíamos que eles iam nos levar para fora, e normalmente tem umas 15 pessoas [da equipe] por aí. Tinham umas 50 pessoas por aí porque tínhamos esses livros do ano e todo mundo queria estar lá. Eu nunca vou esquecer, todos ficaram quietos e começaram a nos empurrar [para a frente]. Estávamos nos movendo para um momento só as cinco, e eu percebi, ‘Eles estão prestes a dizer as palavras.’ E aí tinha acabado.”

A atriz está saindo com um estrondo, embora, depois de ter dirigido um episódio da temporada, marcado para ir ao ar no dia 23 de maio, depois de anos de encorajamento da equipe. “Quando eu pude dirigir, eu não pude acreditar que levou tanto tempo,” ela diz. “E todos eram tão solidários; cada lugar que eu ia tinham high-fives.”

É um momento emocionante para Bellisario, não há dúvidas, mas um momento incerto também.

“Eu definitivamente tive essa crise de ‘Eu vou trabalhar de novo um dia?’ Porque é como se de repente eu não tivesse um emprego, e eu sempre sabia por oito anos que voltaria para o trabalho em março, teria o mesmo lugar no estacionamento, o mesmo camarim, tudo isso,” ela diz. “Eu nunca realmente lidei com o desemprego – eu estava muito feliz quando me formei na faculdade, consegui um trabalho em uma peça, onde eu conheci meu marido, e aí consegui Pretty Little Liars, e agora estamos aqui.”

Mas para qualquer um que conhece Bellisario, mesmo que por um momento, está claro que ela não vai ficar parada pelos próximos anos. Ela é cheia de vida e descaradamente apaixonada por atuar e o mundo que isso engloba. Faz sentido, já que é o mundo em que ela cresceu, graças aos pais: a atriz Deborah Pratt e Donald P. Bellisario, que criou Magnum, P.I., Quantum Leap, JAG e NCIS. “Desde bem pequena, eu lembro de me envolver no ofício,” ela diz. “Não era apenas sobre ser uma atriz e ser famosa porque eu via minha mãe e pai irem trabalhar todos os dias. Eu vi eles chegarem tarde e eles estavam exaustos. Eu sabia que teria que trabalhar muito.”

Então é isso que ela está fazendo. A atriz recentemente terminou de gravar Clara, um filme de ficção científica onde você a verá atuando com seu marido, o ator de Suits, Patrick J. Adams. “É realmente uma das melhores coisas que você faz quando pode trabalhar com seus melhores amigos,” Bellisario diz. “Eu conheço muitas pessoas que não gostam disso, e querem vidas separadas, mas tivemos vidas separadas por sete anos. Eu estava em Los Angeles e ele estava em Toronto e só podíamos nos ver por 24 horas, talvez duas vezes no mês. Nós somos pessoas independentes e não precisamos trabalhar juntos; é apenas divertido para nós.”

Depois tem Feed, um filme que Bellisario escreveu quando ela tinha 23 anos sobre suas experiências com transtorno alimentar, que sairá no verão (americano). “Quando eu estava no ensino médio, fui confrontada porque eu tinha perdido muito peso e as pessoas ao meu redor estavam preocupadas, e elas diziam, ‘Se você não ganhar peso, você não vai para a faculdade.’ E eu fiquei tipo, eu não posso ir de líder da turma de formatura para não ir para a faculdade,” ela lembra. “Eu achei que era um fracasso absoluto, então eu disse, ‘Sem problemas, vou comer.’ Mas esse não era o problema. O problema era que eu estava sofrendo com uma doença mental que não é resolvida apenas ganhando uns quilos.”

O ano seguinte, enquanto ia para a escola na costa leste, ela foi mandada para casa e hospitalizada pela doença. “Achei que era o fim da minha vida, mas aí percebi que era uma nova maneira de começar,” ela diz. “Saindo do hospital, a coisa mais frustrante era que as pessoas que eu amava ainda não entendiam minha experiência com a doença… Então eu sentei por um tempo e percebi que o que eu mais me sentia confortável fazendo era contar histórias, então por que não contar uma história sobre isso? Eu queria tentar colocar as pessoas como meu pai ou minha mãe ou melhor amiga no meu lugar para que eles pudessem experienciar o que eu sentia, e talvez entender.”

Devido a sua agenda ocupada por Pretty Little Liars, não foi até recentemente que o filme virou uma realidade, com Bellisario assumindo o papel principal. “Eu realmente escrevi isso porque queria encarnar esse papel, mesmo que muitas pessoas dissessem, ‘Isso talvez te colocaria em uma posição perigosa,'” ela diz. “Mas a coisa boa com o tempo que passou, mais distância emocional eu senti de meu envolvimento com a doença. A coisa difícil é que ela está sempre viva em você e quando você se envolve com isso, é tão alto, mas estou em um ponto diferente da minha vida.”

A atriz está dividida compreensivelmente em emocionada e petrificada. “É um filme que significa tudo para mim, mas também é meu primeiro filme,” ela diz. “Não é um filme perfeito. Estou nervosa especialmente para compartilhar um lado mais sombrio de mim com a minha fanbase, que sempre vem me apoiando, mas ao mesmo tempo, me faz querer não desapontá-los, especialmente quando se trata de um assunto que é importante. É aterrorizante.”

É essa combinação de emoções que resume Bellisario nesse momento, chegando a essa encruzilhada de coisas diferentes.

“Eu sinto que minha vida vai ser um pouco desgarrada por um tempo, e isso é emocionante e assustador, que são meio que o mesmo sentimento,” ela diz. “Eu sinto que pela primeira vez em minha vida eu posso decidir quem eu quero ser, e isso vai ser uma jornada.”

Fonte: W Magazine

Confira abaixo as fotos do photoshoot que Troian fez para a revista:

wmagazine-001.png wmagazine-003.png wmagazine-006.png

Publicado por   |   Armazenada em: Entrevistas, Feed, Filmes, Galeria, Photoshoot, Pretty Little Liars
26.04.2017

Vulture: E tudo começou com uma mentira

O elenco de Pretty Little Liars concedeu uma entrevista para a Vulture, falando sobre o início de tudo, e o que tornou a série o fenômeno que é hoje. Confira traduzido abaixo:

No dia 8 de junho de 2010, o canal antigamente conhecido como ABC Family estreou o que rapidamente se tornaria uma das maiores manias para enfeitar a pequena tela: Pretty Little Liars. Baseada na série de livros de Sara Shepard, o mistério do assassinato adolescente liderado pela showrunner I. Marlene King, introduziu o complexo mundo de Rosewood, com seu vilão anônimo cheio de tecnologia, “A” que aterroriza um grupo de meninas do ensino médio com sinistras mensagens e texto e esquemas incrivelmente elaborados. É claro, a série evoluiu muito desde então – agora há múltiplos “A’s” com variada motivações, para iniciantes – mas sua devota fanbase é presa a ela, com personagens misteriosos e tudo. Horas antes da última premiere da série semana passada, Vulture conversou com Lucy Hale, Ashley Benson, Shay Mitchell, Troian Bellisario e Sasha Pieterse para refletir nos altos e baixos dos seus últimos sete anos sob os holofotes. Elas foram rápidas em terminar as frases umas das outras, e sinceras sobre algumas críticas que a série recebeu.

Vamos começar do início. Vocês estavam interessadas imeadiatamente na audição para a série quando vocês receberam o primeiro script, ou tiveram que ser convencidas?

Lucy Hale: Eu sabia apenas de ouvir o título que seria algo que eu queria fazer parte. Eu conhecia os livros. Para mim, foi instantâneo que era algo que eu queria estar.

Sasha Pieterse: Originalmente eu ia fazer a audição pra Hanna, e eu amei a descrição da personagem. Foi definitivamente algo que eu queria fazer, então valeu o risco.

Troian Bellisario: Eu tive a reação oposta, na verdade. Eu não queria estar lá! [Risos]. Vocês falam para mim sobre The O.C. e o que significa para você, ou Gossip Girl, e eu nunca vi nenhuma dessas séries. Eu tive essa ideia em minha cabeça sobre o que uma série teen seria, e eu achei que eu não queria fazer parte disso porque eu não assistia essas séries quando era adolescente. Então eu estava tipo, porque você quer fazer parte desse mundo? Mas quando eu li o script e os lados da Spencer, teve uma cena arriscada que foi cortada do piloto, mas eventualmente começamos a fazer coisas daquele tipo mais e mais. Era uma cena entre ela e Wren, quando ela estava pegando um cigarro dele fora de um restaurante.

LH: Oh Deus, eu lembro disso.

TB: Ela estava pegando um cigarro e flertando com o noivo da irmã! Foi muito be escrito, eu me lembro claramente, e eu me relacionei a isso. Foi o momento para mim quando eu estava meio, oh, talvez eu não sei sobre o que é esse tipo de série e eu não conheço esse mundo, e eu tenho essa ideia sobre. Verdadeiramente, Pretty Little Liars foi a primeira vez que minhas expectativas foram quebradas.

Ashley Benson: Eu estava na verdade em uma série quando eles estavam selecionando o elenco. Eu estava em um cinema, e eu recebi uma ligação do meu agente e eu estava meio, ok, tanto faz, isso pode esperar. Mas minha série foi cancelada aquela noite. Então eles estavam meio, “Sim, você tem que ir amanhã para Pretty Little Liars.” Eu lembro de conhecer a Marlene pela primeira vez e eu estava chorando e tão triste. Minha série tinha acabado de ser cancelada! Ela sentou na sala e disse, “O segundo que você entrou, eu senti você como Hanna.” Foi uma conexão louca. Eu não li o script nem nada, eu só li as passagens da Hanna. Eu também sabia que Lucy estava fazendo, e nos conhecemos desde sempre, então era animados. Eu tive esse instinto estranho que isso ia se tornar uma grande coisa.

Shay Mitchell: Eu estava morando em Toronto, e eu era bartender. Eu queria estar em uma série americana mais que tudo. Eu era uma grande fã de Gossip Girl, então isso era para algo que eu sempre tive no meu quadro de visão. Quando eu consegui a audição, eu fiz para Spencer primeiro, a cena que ela fez. Eu tive a mesma reação que ela teve. Eu fiquei, wow, sim, isso é arriscado! Eles estão fumando cigarro! Então eu me coloquei por inteiro nisso. Eles ligaram de volta, e disseram que haviam encontrado a Spencer, mas não tinham achado a Emily ainda. Eles me deram as falas dela, e foi perfeito. Eu me coloquei por inteira, e o resto é história. Eu não li os livros até conseguir o papel. E aí desde que li os livros, todas lemos ao mesmo tempo.

TB: Estavamos todas em sincronia!

SM: Ficávamos todas, oh, isso é legal. Isso será bom.

Quando vocês sentiram que finalmente compreenderam as intenções e motivações em constante mudança dos seus personagens? Vocês chegaram ou ponto onde podiam dar feedback aos escritores e falar tipo, “Sabe, eu não acho que ela faria isso porque…”?

LH: Nossos escritores e produtores deixaram muito claro para nós que podíamos ir té eles, falar ideias, ou se odiássemos uma fala poderíamos mudá-la. Eu realmente nunca falei sobre minha personagem e coisas que eu queria fazer até os últimos 10 episódios. Eu estava tipo, “Posso fazer algo que eu nunca fiz antes?” E eles ficara meio, “Sim, claro!” E eu estava tipo, o que, é assim tão fácil? Legal! Antes disso, eu sabia que meu papel na série era um alívio romântico. Eu sabia o papel da Aria. Eu estava meio, cara, talvez ela podia fazer algo fora da caixa nos últimos 10 episódios. E eles me deixaram fazer.

Tinham chances de improvisar diálogos no set?

LH: Troian…

AB: Ela muda bastante!

TB: [Risos] Eu conheço o mundo dos escritores. Não havia muito espaço para improvisar, porque o estúdio e o canal eram muito envolvidos com cada rascunho e cada script. No momento em que chegou até você, você fica meio, “Será que eu podia não dizer os dois nomes ‘Noel Kahn’ nunca mais? Não sabemos quem Noel Kahn é? Será que não podemos usar ‘ele’ ou ‘Noel?'” Eles ficavam sempre envolvidos. E como Lucy estava dizendo, era mais sobre levar as ideias para a sala dos escritores. Eles sempre foram muito acolhedores comigo quando eu ia, sentava e dizia, “Já pensamos sobre isso? E se isso acontecesse, como nos sentiríamos?”

Como todas evoluíram como atrizes trabalhando na série?

SP: Alison mudou muito emocionalmente, e eu não esperava isso. Teve uma parte dela que estava realmente quebrada, e eu não tinha certeza que veríamos esse lado dela. Quando ela voltou na quinta temporada e contou toda a história sobre como ela tinha sido enterrada viva, foi tão emocionante para mim e inesperado.

LH: Eu sei que eu cresci exponencialmente e aprendi com cada uma das meninas. Foi obvimeante muito divertido e isso abriu muitas portas para nós, mas aprendemos aspectos da televisão que eu não estava interessada, como iluminação. Isso vai obviamente nos ajudar no futuro para outras coisas.

TB: Eu sinto que no começo todas nós éramos certos arquétipos, e durante o curso dos sete anos pudemos ser coisas diferentes. Os escritores começaram a escrever personagens mais arredondados. Algo que eu fiquei muito surpresa foram os vários vícios que ela teria, em sexo ou velocidade ou qualquer coisa. Eu não esperava por isso, e eu percebi que por mais inteligente que ela fosse, ela é incrivelmente auto destrutiva. Eu concordo com a Lucy, a coisa toda foi educacional. Mesmo que eu tenha trabalhado nisso desde que era criança, eu aprendi como estar num set e ficar por várias horas mesmo quando você está exausta ou doente, e ainda estar totalmente investida.

AB: Tivemos a melhor equipe que já trabalhamos.

SM: Você é vulnerável quando é uma atriz, então ter uma família que te apoia no set é a cereja do bolo para sete anos de experiência.

SP: Eles são muito protetores.

AB: Eles são todos como nossos pais. Eu ainda mando mensagens para eles. Eles ficam tão feliz e querendo saber como estamos indo. Se eles sabem que estamos tendo um dia ruim, eles falam com a gente. Cada cara na série é maravilhoso.

Como vocês acham que Pretty Little Liars influenciou o novo corte de séries teen desde que estreou em 2010? Parece que as séries estão sendo em volta de adolescentes hoje em dia, como Riverdale e 13 Reasons Why, realmente alimentadas por mistério e assassinato como o oposto das experiências “normais” do ensino médio.

AB: Big Little Lies!

LH: Talvez não isso. [Risos] Eu assisti o piloto de 13 Reasonws Why e Riverdade, e eu não estou dizendo que influenciamos a série deles, mas você pode definitivamente ver várias similaridades. Todas nós, os escritores e produtores, pavimentamos um caminho para várias novas séries. Pegar coisas que séries de jovens adultos geralmente não usam.

AB: Nos arriscamos muito. A grande coisa sobre nossa série é que tem cinco fortes protagonistas femininas, e todas lidamos com diferentes coisas que adolescentes hoje em dia passam – todas tivemos um assunto específico que tivemos que lidar ou superar. Para todas nós, acho que nossos fãs realmente se conectam. Teria um episódio onde eu receberia uma mensagem, eles receberiam uma mensagem, todo mundo recebe mensagem. Especialmente com Emily, eu sei que Shay vem recebendo muito apoio dos fãs do tipo, “Muito obrigada, eu consegui me assumir para meus amigos e família.” E com Hanna, quando ela estava lidando com o transtorno alimentar mais cedo na história, eu recebi muitas mensagens legais sobre isso também.

Um fenômeno que emergiu recentemente na série foi que se tornou um hit nas redes sociais – milhões de pessoas twittam sobre os episódios toda semana, e vocês fazem várias interações com os fãs, também. Eu questionaria se a série se tornou a série mais “social”. Por que vocês acham que um grupo demográfico tão grande teve uma resposta imediata e visceral sobre isso?

AB: A coisa legal é que mulheres mais velhas assistem. Minha mãe e todas as mães assistem. Nossas mães na série foram de grande ajuda. Minha mãe era uma grande fã de Laura Leighton [que faz Ashley Marin] de Melrose Place. Eu conversei bastante com Laura quando começamos, e ela se tornou minha segunda mãe. Eu ainda peço conselhos para ela. Foi incrível seguir elas e ver como elas lidam com uma grande série. Holly Marie Combs também.

LH: Concordo. Todas as estrelas se alinharam, e foi a hora certa para as redes sociais e nossa série.

SM: Eu nem sabia o que era Twitter quando começamos.

SP: Jovens estavam assistindo, e os pais estavam monitorando. E então eles amaram e se tornou uma coisa de família, o que é anormal que adolescentes assistam coisas com seus pais. Quem quer assistir Gossip Girl com sua mãe? Mesmo que acontecesse, não era normal.

TB: É muito legal de ver, como a televisão evoluiu. Sabe o sistema de classificações de Nielsen? Com o Nielsen Box? Eles perceberam que não tinha um retrato preciso da audiência de certas séries, a nossa incluída. Eles desenvolveram esse novo sistema de classificação baseado nos tweets para acompanhar o quão popular uma série era. Eles procuravam nas redes sociais e interações nas hashtags, e nossa série era constantemente número um, era louco. Era interessante porque, por muito tempo, eu lembro de ir trabalhar no próximo dia e perguntar para nossos produtores, “Quais foram os números ontem a noite?” E eles responderiam, “Poderíamos te dizer os números, mas eles não importam na verdade.” Mesmo que essas pessoas sintonizassem ao vivo, tinham 200 milhões de tweets.

SP: Ou usando streaming. Tem muitos pontos de venda diferentes, também.

LH: Ninguém mais assiste ao vivo.

SM: Lembra quando corríamos para casa para assistir The O.C.?

AB: Toda terça eu ia a uma festa para assistir com minhas amigas!

Uma das críticas que mais emergiu durante as últimas temporada é que a série mordeu um pouco mais do que poderia engolir – os plots se tornaram um pouco complicados, e parecem ter mais perguntas do que respostas a cada episódio. Vocês acham que essas preocupações são justificáveis?

TB: 100 por cento.

LH: Oh, definitivamente. Nós temos perguntas também. Algumas vezes essas histórias apenas desaparecem no ar. Seria tipo, o que aconteceu com esse personagem? Porque nunca mais mencionamos isso? Coisas assim. Você tem que lembrar, é a TV, mas definitivamente – ouvimos as frustrações dos fãs da série alto e claro. Os escritores tentaram o máximo dar a eles todas as respostas que podiam.

TB: Foi realmente diferente. Porque não é uma série que cada temporada tem dez episódios, então os escritores ficam numa sala por dois meses direto e fazem uma história para o ano todo. Essa é uma série onde em um ano, fazemos 25 episódios, o que é louco!

TB: Fazer um mistério durar por 26 episódios e ter engajamento…

SM: É impossível.

TB: E no topo disso, não saber se você vai voltar por outro ano, e então eles te dizerem que você vai voltar para outro ano, ok, bom, essas respostar que você dará no final, estica para o próximo ano. Acho que os escritores fizeram um ótimo trabalho rolando com isso e criando novos personagens, novas histórias, e expandindo o mundo dos livros da Sara Shepard, de uma maneira que as vezes fica complicado e frustrante. Os fãs precisam esperar – suas respostas estão nos últimos 10 episódios.

SP: Acho que a única coisa que não respondemos foi como as mães saíram do porão.

SM: Isso nunca será respondido, desculpe. Essa será a única pergunta que não será respondida.

SP: Elas saíram.

TB: Graças a Deus.

Vocês acham que a série teria se beneficiado com uma contagem menor de episódios por temporada?

AB: Hmm. Os últimos dois ou três anos fizemos 20 episódios.

LH: Foi condensado um pouco.

AB: Também era muito trabalho. Todo ano, fazendo 20 e tantos episódios por sete anos. Eu também acho que isso vai de… Eles queriam contar as histórias um pouco mais rápido e seguir com elas. Conforme as temporadas foram indo eles ficaram tipo, “Ok, vamos faer dez e dez e fazer um pouco mais curto.”. Acho que no fim foi legal.

LH: Acho que seria o mesmo resultado sem menos episódios.

SP: Deu certo.

Como era a estrutura de filmagem para vocês?

TB: As filmagens começavam toda segunda às 5:30 da manhã e duravam até sexta. Porque fazíamos várias cenas a noite, empilhávamos elas no fim da semana.

SP: Chamávamos elas de “Fraturday” (junção de sexta+sábado).

Teve algum plot de suas respectivas personagens que vocês não ficaram animadas?

LH: Por onde eu começo? Brincadeira. Eu só achei que foi engraçado… Algumas vezes eu sinto que eles não sabiam o lugar da Aria, então eles fizeram ela namorar vários cara.

SM: Acho que isso foi verdade para vários personagens, para ser honesta. Mas lembre-se, 25 episódios.

AB: Com o que Lucy disse, quando você tem 25 episódios, não podemos fazer todos eles com suspende. Então acho que todas tivemos horas que ficamos, ah, essa não é uma história interessante.

TB: Por exemplo, ontem quando fizemos um dos compromissos de imprensa, tivemos que colocar todos os nossos namorados e namoradas em uma linha do tempo, e tiveram várias histórias que foram totalmente esquecidas.

LH: Era péssimo!

SP: Esquecemos totalmente!

SM: Oh meu Deus.

AB: Nós nem lembrávamos dos personagens… Quem eram.

SP: Quem ficou com quem. Ficamos tipo, não lembro dele.

TB: Eu não lembro de ninguém.

Nesse ponto da série, como vocês definiriam a dinâmica da amizade em grupo? Se elas ainda estivessem sendo caçadas por “A” depois do pulo no tempo, vocês acham que elas continuariam sendo amigas?

SP: Eu não sei se elas ficariam tão próximas da Alison. Tinham muitos conflitos sem resolução. Mas acho que as quatro seriam.

LH: Eu quero acreditar que sim.

AB: Acho que sim. Também acho que seriam amigas da Ali também. Elas tem uma ligação apesar do que você fizer.

SP: O que eu fiz.

AB: O que você fez para nós! Nos torturou! Elas são, no fim do dia, uma família.

SP: Tem tanta história.

SM: Mas precisamos que você morresse para nós ficarmos próximas no início da temporada.

LH: Verdade, precisamos disso.

SM: De outra forma eu não sei se seríamos amigas, porque tivemos aquele ano de “férias” depois que você morreu. Então, você morrer nos juntou. Obrigada por isso!

TB: E quando fizemos o pulo no tempo, você sentiu que nossas personagens ainda mantinham contato umas com as outras, mas elas estavam vivendo vidas diferentes. É como essas amigas que você tem – você não precisa falar com elas todos os dias, mas quando algo grande acontece…

LH: É como se o tempo não tivesse passado.

Quem vocês acham que cresceu mais durante as sete temporadas?

LH: Ali, certo?

TB: Oh sim.

LH: Todas cresceram, mas Ali teve uma mudança notável.

TB: Sua personalidade!

SP: Eles literalmente mudaram a personalidade dela. Acho que ela quebrou as próprias paredes e percebeu o quanto ela deixou de lado e esqueceu e suprimiu. Quando ela percebeu o quão horrível era sua família, e porque ela era do jeito que era, ela trabalhou nisso, e ter grandes amigas que a ajudaram a passar por isso. Ela realmente mudou para melhor.

SM: Todas amadurecemos, você viu o episódio piloto? Minhas sobrancelhas ficaram mais grossas!

SP: Olhe como eu era má!

AB: Eu e Shay ficamos com sobrancelhas mais grossas!

SP: Alison parecia uma mãe quando ela tinha 17 anos! [Risos] Ela era tão vadia no início.

AB: Alison virou uma mãe no estado real.

SP: Ela teve suas fases.

AB: Você se tornou uma professora então teve que vestir o papel.

SP: Certo, vamos com essa. [Risos]

Se Pretty Little Liars tivesse outro spin off, em quem focaria e sobre o que seria?

LH: Ali. Eu amo a personagem! Eu amo todas vocês, eu amo Aria, mas acho que teria tantos lugares para ir porque o passado dela foi uma bagunça.

TB: Tem muito no meu.

SP: Por mais que ela tenha crescido, ela também é muito instável.

LH: Você poderia voltar a ser Ali louca. Eu amava a bitch Ali, Ali louca.

SP: Eu amava também.

TB: Aqueles flashbacks eram os melhores. Lembra da cena do lago? Essa é uma das minhas cenas favoritas. Quando estávamos todas no lago e Ali estava só sendo horrível.

SP: Eu era tão má.

LH: Foi meu aniversário de 21 anos!

AB: Eu trouxe Coldstone!

LH: Começa a cantar “Memories” de Cats.

Eu sei que várias pessoas ainda esperam que Alison seja “A” no fim.

SP: [Risos] Sim. Estou ciente.

AB: Você nunca sabe.

TB: Você nunca sabe. Você pode continuar minando essa história para sempre. Ela poderia ser “A” e, em seguida, ter sua própria série.

SM: E aí “B” e depois “C” e depois “D”.

AB: O alfabeto inteiro!

Como vocês descobriram quem o último “A” era?

SP: Recebems várias pistas ao longo do caminho. Acho que todas descobrimos de nossas maneiras. No final, foi um grande choque.

LH: Ninguém me contou, e aí eu ouvi que um ator que nunca trabalhava na série sabia.

AB: O que? Quem?

SP: Ninguém nunca te conta nada!

LH: Drew Van Acker sabia! Eu fiquei, “Como você sabe e eu não?”

AB: Eu fico ansiosa falando sobre isso.

LH: Normalmente lemos nos scripts.

AB: Eles eram muito bico fechado sobre isso, obviamente, mas eu lembro de forçar alguém a me contar. Estávamos em uma gravação noturna e eu estava tipo, “Cara, você precisa me dizer agora, porque se não me disser, eu vou ficar louca. Marlene não me conta, eu quero saber.” E aí me contaram e eu fiquei tipo, ahhhhhhhhhh! E foi ótimo.

SP: Eu fiquei muito feliz sobre isso.

LH: Tipicamente eles não falam muito.

AB: Eu fiquei chateada que não era Hanna. [Pisca]

TB: Eu sempre fui enxerida sobre e eu lembro de encurralar a Marlene. Acho que Marlene tinha um pouco de medo de mim. [Risos] Porque funcionou. Eu falei, “Você vai me contar e vai me contar agora.” E foi a um tempo atrás. Ela ficou tipo “Você realmente quer saber?” E eu fiquei, “Sim, quero.”

AB: E adivinha quem me contou? [Encara a Troian]

Eu sei que todas fizeram tatuagens combinando para comemorar a série. Acho que deviam pressionar Marlene para fazer uma também.

TB: Ela queria uma, na verdade.

Vocês não deixaram?

AB: Não, não se preocupe. Nós fizemos FaceTime com ela enquanto fazíamos as tatuagens porque estávamos um pouco acima da rua dela, e ficamos tipo, “Tem certeza que não quer se juntar a nós agora” E ela ficou meio, “Não, estou na cama. Estou cansada.”

LH: Ela vai fazer uma.

TB: Depois ela vai fazer uma, 100%.

AB: Ela vai fazer uma manga inteira.

SP: Em vermelho. Um monte de -A’s entrelaçados.

TB: Ela deve fazer um selo do roteiro de PLL. Nas costas.

SP: Escrito e dirigido por I. Marlene King.

O que você espera do legado da série?

TB: Recentemente, eu recomecei uma série que foi muito importante para mim. Eu recomecei a ver Twin Peaks.

LH: Tem muitas similaridades.

TB: Assistindo a descoberta de Laura Palmer eu fiquei, oh deus, uma mulher loira morta. Escutando a música do tema, assistindo a maneira como foi gravada, e sendo reintroduzida nas personagens eu senti que foi boas vinda para mim, assistir novamente. Eu fiquei, eu esqueci como isso era bom.

LH: Espero que seja nostálgico para as pessoas do mesmo jeito. Quando você ouve a abertura.

TB: Quando nossos fãs forem mais velhos e olharem para trás e colocarem nossa série para assistir, eu espero que eles se sintam assim.

SP: Que leve eles de volta.

SM: Como eu sinto quando assisto Dawson’s Creek.

Você aceita o rótulo de “Twin Peaks para adolescentes”?

LH: Absolutamente.

SP: Totalmente.

TB: É uma honra.

SP: Também recebemos muitas comparações com Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado.

TB: Costumávamos receber “Twin Peaks” versão lite.

LH: Lembra quando nos comparavam com Desperate Housewives?

AB: Sim. Muito.

TB: Mas era isso que os livros eram para ser, certo? “Desperate Housewives para adolescentes”. Nunca assisti.

LH: Primeira temporada, é tudo que ouvi.

Como vocês todas vem sendo associadas com Pretty Little Liars durante os últimos anos, vocês acham difícil conseguir papéis fora da emissora?

SP: A coisa principal era a agente. Trabalhávamos nove meses no ano.

LH: Eu tenho certeza que tem um tipo de typecasting, porque é a natureza humana. Todo mundo tem sua noção preconceituada de quem eu sou como atriz e pessoa, o mesmo com todas aqui. Eu trabalhei com essas meninas e eu sei o que elas são capazes. Eu sei que todas podemos fazer o que diabos quisermos. Eu amo um bom desafio. Mal posso esperar para prová-los do contrário.

SP: Exatamnte.

TB: Será só sobre entrar nessas salas. Eu acho que essa é a jornada que nos aguarda.

LH: Somos de uma série comercialmente popular. Temos rostos reconhecíveis. Vocês nos veem toda semana, você acha que somos essas personagens. Eu sou chamada de Aria mais do que de Lucy. É um problema de qualidade que temos.

SM: Typecasting é divertido. Eu só sou chamada para fazer treinadoras de natação agora. [Risos] “Vemos você na Converse, sabemos que você é muito esportiva!”

SP: Fã de nadar 2.

TB: Ou a pessoas acham que você está presa no tempo. Eu ainda sou chamada para fazer filmes de ensino médio. Eu fico tipo, garota, você não quer que eu apareça para isso.

Com o fim da série em algumas semanas, é natural que as pessoas queiram que vocês continuem a história de outra maneira, com um filme ou um episódio especial. Vocês considerariam revisitar o universo de Pretty Little Liars em algum ponto no futuro, ou vocês acham que a finale seria um adeus definitivo?

AB: Alguém quer fazer isso? [Risos]

SP: Acho que é um pouco de ambos. Eles terminaram tão bem. Não para ser clichê, mas eles colocaram um ponto final nisso. Eles encerraram de uma maneira que todas nos sentimos bem Acho que tem um mundo onde Rosewood vive, e você nunca sabe, mas acho que estamos todas satisfeitas.

LH: Todo mundo pode pegar um fim e levar em uma direção diferente. Acho que é isso que Marlene espera secretamente, que todas voltemos.

SP: Ela tem esperança disso.

TB: Como um filme de Sex and the City. As Liars vão para Dubai! O que estamos fazendo?

LH: Elas definitivamente iriam para Dubai, vamos por essa ideia no universo.

SM: Eu faria um filme se pudéssemos filmar na Europa.

Saia do lote da Warner Bros.

SM: Exatamente. Mas aí eles nos diriam que iriamos gravar em Barcelona e aí seria tipo, “Não, na verdade vamos gravar na rua Barcelona, no lote da Warner Bros.”

TB: Oh sim, eu gravei em “Barcelona” no lote da Warner Bros por alguns episódios.

SP: Precisamos ser muito específicas em nossos contratos.

Fonte: Vulture

Publicado por   |   Armazenada em: Entrevistas, Matéria, Pretty Little Liars
25.04.2017

Entrevista: Troian para o “The New Potato”

Troian concedeu uma entrevista e fez uma sessão de fotos com o site “The New Potato” durante sua passagem por New York City para a última turnê de imprensa de Pretty Little Liars. Confira traduzido abaixo:

Depois de muito tempo, Pretty Little Liars finalmente retornou para a segunda parte da 7ª temporada. Para celebrar o renascimento e temporada final do nosso prazer culposo (ou não tão culposo), conversamos com a estrela da série Troian Bellisario. Amamos o estilo de sua personagem Spencer e viemos querendo muito o retorno da série. Sentamos com Bellisario para falar sobre as comidas ideais para o dia, porque uma imagem corporal saudável é tão importante, e também nos deu dicas do seu próximo filme Clara. Leia abaixo para a entrevista completa; é um ótimo dia para começar sua terça.

Do começo para o fim, como seria seu dia ideal de comida?
Um dia ideal de comida seria um dia que eu escuto meu corpo: quando eu não passo muito tempo sem comer, ou fico cheia, surto com um amigo como resultado de pouco açúcar no sangue, e tudo que como me deixa energizada e limpa. Isso não parece incrível? Mas é difícil, ter certeza de comer bem, regularmente e conscientemente e nesse mundo louco de hoje. Eu sei que não sou a única com uma agenda louca.

Então, acho que para chegar a isso, eu tento comer comida saudável; elas não precisam de muita preparação e podem ser arrumadas para levar. Eu gosto de um iogurte grego de manhã com uma fruta e manteiga de nozes. Às vezes no domingo, eu faço um pote de aveia e coloco na geladeira. Então, cada manhã, você pega um pouco e põe leite de amêndoa e passas e aquece de novo; é tão fácil de colocar em uma jarra e levar para o trabalho (com as coberturas que você gostar) e é quente e te dá energia por um bom tempo. Eu faço o mesmo no domingo com uma grande salada de couve com abacate e batata doce. Eu vou fazer isso em um domingo com um suco de limão e deixar na geladeira e aí deixar lá para que eu possa colocar mais coisas depois. Geralmente para proteína eu adiciono ovos fervidos ou nozes e sementes. Para o jantar, eu amo sushi ou um perfeito pedaço de peixe.

Eu sei que para algumas pessoas isso pode parecer um dia entediante, ou um dia que eles tem que ler umas 8 vezes sobre em revistas no salão de beleza, mas quando minha vida fica agitada normalmente comida é a primeira coisa que eu gosto de organizar para que não me estresse. Se eu tiver uma audição e 3 reuniões e eu tenho que pegar um vôo depois de trabalhar a noite toda, eu não posso gastar minha energia mental me deixando com fome e depois me perguntando o que eu quero comer. Às vez é legal ter toda a comida preparada. Eu sei que vai me sustentar e me deixar me sentindo satisfeita e eu posso focar em outras coisas.

Mas isso é ideal, como perfeição de saúde. Eu também idealmente adoraria ter torradas e ovos toda manhã e depois sorvete.

Como você pratica beleza de dentro para fora?
Ouça seu corpo. Eu sou horrível nisso, mas estou tentando melhorar. Eu preciso aprender que quando eu não durmo o suficiente, talvez eu não deveria acordar e sair para correr. Talvez seria melhor para o meu corpo se eu pegasse essa hora extra de sono. Talvez eu não precise desse terceiro copo de café, porque eu não vou me sentir mais acordada, eu só vou ficar trêmula e hiperativa. De novo, eu sou horrível nisso, mas sinto que a chave da beleza e saúde é ouvir seu corpo e dar o que ele precisa, nem sempre o que você acha que ele quer.

Quais são suas rotinas de beleza pela manhã e noite?
No fim do dia, tirar toda minha maquiagem é uma rotina importante. Eu normalmente uso um removedor do Burt’s Bees para começar. Então eu lavo meu rosto com um limpador facial da Clarin, algumas vezes eu uso o esfoliador deles depois. Se vem sendo uma longa semana de muita maquiagem, eu uso as máscaras faciais da Origins para limpar meus poros e então eu uso um soro hidratante da Clarin depois de usar um óleo para dormir. Eu também sou uma demônia de creme para os olhos; eu amo o Kihel’s.

Quando eu acordo de manhã, porque eu tenho muita coisa que fiz na noite anterior e esperançosamente durante a noite minha pele absorveu tudo, eu não lavo. Eu li que você tem vários óleos naturais que são produzidos durante a noite que são bons para sua pele, então você não quer tirar eles lavando o rosto quando acorda. Eu só espirro água gelada no meu rosto e tenho certeza de passar protetor solar antes de sair. Se eu não tive horas de sono suficientes (o que é quase sempre), eu vou usar um gel para olhos para tentar acalmar meus olhos antes de trabalhar.

Amamos você em Pretty Little Liars – alguma história engraçada que você pode compartilhar do set? Algum segredo que você pode compartilhar?
Obrigada! Eu queria poder compartilhar os segredos mas que tipo de amiga eu seria? Acho que o mais divertido que tínhamos eram as gravações noturnas, mesmo que fossem exaustivas. Gravamos muito na floresta do lote da Warner Brothers, o que não é um grande espaço, apenas algumas árvores atrás dos estúdios. Então quando estávamos correndo na floresta em PLL, eram os mesmos metros de árvores, e apenas íamos e voltávamos em direções diferentes e fingíamos estar perdidas. Essas noites seriam frias e longas, então as meninas e eu ficávamos bem cansadas. Eu não acho que ri tanto sobre a coisa mais ridícula do que nas noites de gravações às 4 da manhã enquanto fingia estar aterrorizada pela vida da Spencer.

Como você entra na personagem?
Depende da cena. Se for uma cena comum da Spencer (como as que estamos acusando qualquer pessoa de ser -A), não tem muita preparação. Você só precisa escutar, estar presente e saber suas falas. As cenas mais emocionais levam um pouco mais de tempo, escutar música e tentar ficar quieta e concentrada. Às vezes ajuda não conversar com outra pessoa durante a cena, ou às vezes eu falo com eles demais… Como com Keegan ou Tyler, falaríamos sobre experiências que tivemos em nossas vidas que eram parecidas com aquela cena que estávamos fazendo, términos de relacionamento, falhas; isso cria um senso de intimidade e liberdade de expressão.

Minhas cenas favoritas eram as com nenhum diálogo ou pessoas! Onde Spencer (ou qualquer personagem que eu faça) tem uma ação ou uma tarefa. Por exemplo, Spencer toma Adderall para tentar expor Ezra como uma fraude. Cenas como essa são maravilhosas para mim, porque, elas são puramente comportamentais e ativas. Você tem um grupo de circunstâncias para sua experiência física (como o remédio te faz sentir, como você está se movendo, respirando, pensando, qual seu nível de sede, temperatura… etc) e como isso vai afetar em sua ação (pesquisando no computador, andando na sala, se esticando, estalando os dedos, lendo artigos.) Eu fico muito animada sobre os detalhes e momentos de uma sequência dessa.

Como seu estilo pessoal difere do da Spencer?
Eu sinto que eu me visto muito como a Spencer, ou no mesmo estilo, exceto que ela parece que acha tempo para fazer compras constantemente. Eu nunca faço compras; eu realmente não gosto, fico ansiosa. Deveria comprar isso? É muito dinheiro? Eu usaria mesmo esses sapatos? É tão irritante lidar com isso que muita alegria é sugada para fora. Então, geralmente, minhas peças favoritas são presentes ou passadas para mim por uma boa amiga, minha mãe ou irmãos. Eu gosto de coisas com histórias. Eu preferia usar uma blusa velha de veludo do século 19 do que uma blusa com um novo design. Quem liga para essa blusa? De onde ela vem? O que ela tem de especial, além do preço na etiqueta dentro dela? Mas o vestido que minha mãe vestiu quando estava grávida de mim? Ou um vestido vermelho que eu usei na faculdade no palco durante minha personagem favorita em uma peça. Eu nunca vou jogar isso fora.

Você tem um destino de viagem favorito? Sem o que você não viaja?
Meus dois lugares favoritos que eu já estive são definitivamente a Nova Zelândia e a Islândia. Eu amo lugares que são selvagens e novos (geologicamente falando), e eu amo acampar. Ambos países são irresistivelmente lindos para mim. Bonitos e com pessoas gentis, formações de rochas insanas, geleiras, antigas florestas e mares selvagens. Não me entenda mal, uma praia quente é ótima (acabamos de voltar do Fiji e foi um paraíso) e eu amo me perder em uma cidade antiga (estou morrendo para ir ao Marrakesh) mas eu nunca sentirei mais temor do planeta do que nesses países.

Sem o que eu não viajo? Fones de ouvido. Música faz qualquer experiência uma aventura épica. Apenas escute Sigor Ros ou Bjork enquanto dirige pela Islândia… desmaio.

Você tem rotina de malhação?
Quando eu quero suar bastante eu vou para a SoulCycle ou uma aula de dança. Nada me faz sentir mais viva e sexy do que uma boa aula de dança. Mas também gosto de estar ao ar livre. Eu amo correr em novas cidades quando eu viajo, é uma ótima maneira de conhecer o lugar. Eu me perco durante uma corrida. Meu amigo começou a me treinar em aerial três anos atrás. Nada é mais libertados que apenas ir a casa dele e brincar nos tecidos ouvindo a música que eu quiser.

Como você malha na estrada? Ou num logo dia no set?
Normalmente para me preparar para um longo dia no set, eu saio para uma corrida. Eu acho que suar antes de chegar vai me acordar e me fazer sentir mais em meu corpo do que se eu saísse da cama para a cadeira de maquiagem. Mas se o horário de entrada é muito cedo, então eu amo terminar o dia com uma caminhada pelo pôr do sol ou uma aula de yoga.

Quando estou na estrada eu tento correr ou procurar uma nova aula na cidade. Às vezes apenas tentando algo novo (uma aula que eu nunca fiz ou uma corrida) é um ótimo jeito de sair do quarto do hotel. Algumas vezes você acaba sendo a pior pessoa em uma sala de dança (como eu recentemente) e foi uma explosão total. Se você pode rir e se sentir bem em seu corpo, acho que é um ótimo dia.

O que está sempre em sua geladeira?
Kumbucha… e alguns sucos estranhos não terminados.

O que a imagem saudável do corpo significa para você? Como você pratica isso?
Está sempre evoluindo. Uma imagem saudável do corpo, para mim, significa permitir seu corpo mudar. Se você está em um clima frio, seu corpo precisa de comida quente. Isso significa que eu corpo vai parecer diferente nos meses de verão quando o calor e a umidade fazem você querer comer coisas leves. Você precisa permitir seu corpo mudar durante o ano e durante os anos. Quando você sai de férias você aproveita. Seus jeans vão estar mais apertados depois de uma semana de pastéis e sobremesas? Sim, mas quem liga?! Porque você se puniria por aproveitar a vida, porque você ia negar a si mesmo qualquer experiência bonita porque você quer parecer de certa maneira?

Pode nos falar sobre o novo filme de sci-fi que você está filmando? Como foi atuar com seu marido?
O filme se chama Clara. É uma ficção científica sobre duas pessoas que querem encontrar vida além do universo e o que eles aprendem sobre suas próprias vidas na Terra no processo. Eu sou uma grande fã de ficção científica. Esse é, talvez, meu gênero de filmes favorito. Não me entenda mal, eu amo um bom drama, mas às vezes por definir algo em um mundo de tecnologia ligeiramente elevada ou mais avançada você pode explorar as relações humanas de um jeito novo e mais profundo. Como “Her” ou “Eternal Sunshine of the Spotless Mind” podem ser mais verdadeiros sobre a dor de uma relação romântica do que qualquer drama colocado em nosso mundo moderno. Tem um sentimento para esses filmes, que eu acho mais emocionante que outros. Espero que Clara pode conseguir essa verdade emocional. O que não gostar sobre trabalhar com Patrick? Ele é talentoso, inteligente, divertido, bonito, então faz meu trabalho com ele fácil de fazer, e ele é meu melhor amigo então todos os dias eram uma diversão.

O que te levou a se envolver com a campanha “Bring Back The Bees”?
Me chame de louca, mas acho que o declínio de 44% das populações de abelhas em apenas um ano é aterrorizante. É um sinal dos tempos. Precisamos fazer algo sobre essa mudança climática. Estamos destruindo o meio ambiente. Ponto. Então, quando o Burt’s Bees me pediu para me juntar a eles e encorajar as pessoas a fazer algo muito simples que pode trazer as abelhas de volta (plantando milhões de flores ao redor das fazendas para dar mais comida para as abelhas e incentivar sua procriação) foi um sim fácil.

Tem alguma organização sem fins lucrativos que você está apaixonada no momento? Porque?
Estou apaixonada por algumas: Sick Kids Hospital em Toronto, porque essas crianças são as mais corajosas e mais lindas que eu já conheci e elas são lutadoras; David Suzuki Foundation e o seu trabalho de proteger o meio ambiente e educar as pessoas sobre as coisas que estão ameaçando nosso planeta e como podemos ajudar.

Quais são os cinco itens de moda que você está cobiçando agora?
Eu comprei esses novos sapatos incríveis do Feit; eles são tipo Vans de couro e porque o couro não é tingido ou trabalhado eu mal posso esperar para ver como eles envelhecem e mudam. Eu não cobiço muitas coisas de moda. Acho que gosto do que as outras pessoas usam; todas as meninas usam esses Ray Bans e eu amo eles, mas eu tenho medo de parecer como um estranho Johnny Depp com eles (não um bom Depp, uma vibe Willy Wonka). Eu quero jeans que me encaixem perfeitamente e não sejam desconfortáveis e me deixem alta e ótima… Sabe como é? Talvez o Mother’s Jeans? Eu queria muito (mas eles são tão caros que eu nunca compraria um) uma corrente de corpo Jackie Aiche; essas são legais. Quer dizer, inferno, eu compraria os piercings de mamilo se eu tivesse piercing de mamilo. Jenny Bird tem esses brincos geométricos que são ótimos. E eu quero mais tatuagens.

Como você começa o dia de um jeito positivo? Você tem um café da manhã padrão?
Eu começo com meditação, eu acho um jeito de mover meu corpo e suar e tomar um ótimo copo de café.

Na mesma veia que o novo preto está na moda, o que é a nova batata da moda?
Torrada de abacate e chá verde; estou vendo várias lojas de chá verde. Não estou brava com isso aliás; ainda estou viciada em café.

Fonte: The New Potato

Confira as fotos do photoshoot que a Troian fez com o “The New Potato” clicando nas miniaturas abaixo:

thenewpotato-001.jpg thenewpotato-004.jpg thenewpotato-009.jpg

Publicado por   |   Armazenada em: Clara, Entrevistas, Galeria, Matéria, Pretty Little Liars